segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Diferença funcional e tecnologia (parte 1)


É mesmo normal ser diferente???

Uma das expectativas mais comuns entre as pessoas com diferença funcional é a eliminação da limitação produzida pela diferença. Para muitos de nós, esta expectativa existe pelo menos em algum momento da vida; para outros, ela torna-se a razão e o sentido da vida. Já convivi com pessoas que investiam todo o seu tempo, energia e recursos na expectativa de reverter/eliminar uma “deficiência”.

Já fui um crítico desta expectativa. Hoje, mais maduro e com uma visão crítica mais aguçada, não vejo razão para criticar uma atitude isolada, uma expectativa isolada. Embora respeite as escolhas de qualquer pessoa (nossas escolhas são sempre legítimas, por melhor ou pior que sejam!), tento refletir sobre o que estaria motivando uma escolha desse tipo.

Tento entender o motivo, a razão, o “por quê?” de se querer tanto e com tanta determinação reverter/eliminar uma “deficiência”. Se você é uma dessas pessoas, já antecipo que torço, torço muito para que você realize seu desejo. Creio, creio firmemente que, num futuro não muito distante, muitas “deficiências” serão eliminadas pela tecnologia. Mas, minha discussão aqui precisa ir além dos casos particulares.

Já me perguntaram assim, na lata: Você não gostaria de voltar a ser normal? Muitas perguntas semelhantes já foram feitas para mim e para a maioria das pessoas que apresentam alguma diferença funcional. E as abordagens são as mais diversas: umas mais, outras menos incisivas, algumas invasivas e indelicadas, outras gentis e até carinhosas. O que há de comum nas perguntas é a expectativa, o desejo e o desconforto diante de uma situação considerada anormal.

É isso. Uma diferença funcional é considerada uma condição “não-natural” – um eufemismo usado para substituir “anormal”, já que nem todos conseguem dizer que uma paraplegia ou uma cegueira são condições anormais.

Normalidade e “deficiência” são duas invenções da Ciência Moderna e da medicina. Antes de resumir esta história, vale lembrar que “deficiência” neste blog é sempre entre aspas (sugiro a leitura dos textos postados em setembro de 2008). É isto mesmo! Normalidade e “deficiência” são conceitos inventados a partir de uma mudança radical no campo das ciências, em geral, e da medicina, em particular.

* * *
Palavras-chave: tecnologia e deficiência; padrão de normalidade; diversidade funcional; diferença funcional; pessoas com deficiência; pessoas portadoras de deficiência; pessoas deficientes.

4 comentários:

Anônimo disse...

REALMENTE É MUITO INTERESSANTE SEU TEXTO , EVIDENTE QUE O HOMEM VAI DEIXANDO E ALTERANDO SUA VISÃO SOBRE TODAS AS ADVERSIDADES ENCONTRADAS DURANTE SUA EVOLUÇÃO , SUPERANDO E RECRIANDO NOVOS VALORES. ACREDITO QUE EM TODOS AQUELES QUE POSSUEM QUALQUER UMA "DEFICIÊNCIA " EXISTIRÁ SEMPRE A ESPERANÇA E UMA FORÇA INTERIOR CAPAZ DE ACREDITAR NO RESTABELECIMENTO... ESTA É CHAMADA FÉ ....AQUELA QUE A CIÊNCIA É INCAPAZ DE EXPLICAR ...AQUELA QUE FAZ COM QUE NOS ENCONTRAMOS COM NÓS MESMOS E CONCLUIMOS QUE ALGUÉM SUPERIOR ,ONIPOTENTE E UNIPRESENTE PODE TRANSFORMAR NOSSO SER E ELIMINAR AQUELA "DEFICIÊNCIA" SEJA ELA EXTERIOR (APARENTE) OU INTERIOR ( VISIVEL APENAS AOS OLHOS DO CRIADOR) , LEMBRO QUE MUITOS HOMENS TEM DEFICIÊNCIA INTERIORES MAIORES QUE MUITOS DEFICIENTES E SE SENTEM VERDADEIROS " DEFICIENTES " , MAS ANALISO QUE CADA ATITUDE POSITIVA DO HOMEM NESTE MUNDO É UMA CONCESSÃO DIVINA DO CRIADOR POR ISSO DEVEMOS SER GRATOS POR TODA E QUALQUER SORTE DE BENÇÃO LANÇADA SOBRE NÓS INDEPENDENTE DO QUE PODEMOS VER NUM PRIMEIRO MOMENTO. LEMBRO DE UMA HISTÓRIA CONTADA QUE FALAVA DE UM REI E SEU FIEL ESCUDEIRO ( UM HOMEM MUITO TEMENTE A DEUS ).... NUM DIA O REI IA SAIR PARA CAÇAR PASSAROS E INTERROGOU SEU ESCUDEIRO SOBRE A HORA APROPRIADA E ELE ALERTOU O REI SOBRE UM GRUPO DE LEÕES MAS O REI NÃO CONCORDOU SAIU PARA CAÇAR E LEVOU CONSIGO APENAS SEU FIEL ESCUDEIRO , MAS DURANTE A CAÇA O GRUPO DE LEÕES CERCARAM A TODOS E O REI ACABOU PERDENDO UM DEDO DA MÃO ; AO VOLTAR PARA O REINO , O REI MANDOU PRENDER SEU ESCUDEIRO E DEIXA-LO LÁ ATÉ SUA MORTE ,POIS O MESMO NÃO SOUBE DEFENDER SEU REI DOS LEÕES....O ESCUDEIRO NÃO QUESTIONOU A DECISÃO DO REI E APENAS PEDIU A DEUS QUE FOSSE FEITA A SUA VONTADE NAQUELE MOMENTO ;ASSIM PASSARAM MUITOS DIAS . ATÉ QUE O REI SAIU PARA CAÇAR NOVAMENTE E NESTA VEZ ENCONTRARAM UMA TRIBO DE INDIOS QUE O PRENDERAM PARA ENTREGA-LO EM SACRIFICIO AO DEUS DOS INDÍOS ; POIS UM REI SERIA UM SACRIFÍCIO GRANDIOSO , MAS AO PERCEBEREM QUE O REI NÃO TINHA UM DEDO ,LIBERARAM O REI ,POIS ELE NÃO ERA PERFEITO...AO VOLTAR O REI LEMBROU-SE DE SEU FIEL ESCUDEIRO E CHAMOU EM SUA PRESENÇA DESCULPANDO-SE . MAS O FIEL ESCUDEIRO LHE DISSE: " MEU REI NÃO SÃO NECESSÁRIAS SUAS DESCULPAS POIS ERA DA VONTADE DE DEUS QUE PERDESTE O DEDO E QUE ME DEIXA-SSE PRESO POIS SE EU NÃO ESTIVESSE PRESO SERIA SACRIFICADO EM SEU LUGAR POIS EU ERA ESCUDEIRO DO REI E PERFEITO AOS OLHOS DOS INDÍOS " , E ASSIM QUE DEVEMOS VIVER "EM PERFEITA ADORAÇÃO " POIS SOMOS TODOS PERFEITOS AOS OLHOS DOS PAI...UM GRANDE ABRAÇO A VOCE E TODOS OS LEITORES .
MAURICIO DOS PASSOS TOLEDO

Paula disse...

Oi Ray, li seu último texto e me identifiquei muito com o que li, é engraçado como as pessoas na rua sempre questionam se não há algum tratamento que faça meu filho enxergar e, quando digo que não, elas sempre dizem:mas não se preocupe, a tecnologia tem avançado tanto, não demora haverá um tratamento para curá-lo. Quando isso acontece, não tenho nem resposta, fico pasma olhando, é engraçado como é difícil aceitar as diferenças, não é mesmo?

Heloisa dos Santos disse...

Ray, li todos os textos e os comentários ao lado. Assim como nossa amiga Paula, tb já ouvi absurdos a respeito da surdez da minha filha que fica até difícil escrever. Durante esses vinte anos acompanhando toda trajetória de vida da Roberta, acredito que a surdez dela me fez crescer mais como ser humano do que qq outra coisa.Conheci variados pensamentos e de todos, com certeza, só fiquei com o que me acrecentou e ainda acrescenta, me fazendo uma pessoa melhor nessa passagem pela vida. Você, seus pensamentos e sua postura frente à adversidade faz parte desse acréscimo.Grande abraço!

Anônimo disse...

'Já me perguntaram assim, na lata: Você não gostaria de voltar a ser normal? "adorei a abordagem do assunto , bom vivo uma vida limitadissima ,o que as vezes da uma vontade sim de querer ser fisicamente normal , mas eu nunca me neguei a responder pergunta nenhuma sobre minha doença que me limita ,e nunca me ofendo com quem pergunta ,mesmo que no final eu escute que pena uma moça tão bonita kkkk ,mas na verdade somos todos de alguma forma limitados ,porque limitação pode ser física ou ou de potencial ,é todos estamos na vida para lutar e sermos melhores. MAS não acredite em tudo que ouvires! Há mentiras que sempre serão ditas, e verdades que jamais serão pronunciadas... Se guiar pelo coração é o segredo ....A deformidade do corpo não feia uma bela alma, mas a formosura da alma reflecte-se no corpo.. ...Eliane Azevedo...e o fato de não podermos enxergar ou andar ou outra limitação ,só nos torna mais guerreiros e muitas vezes nos obriga a superar obstáculos e desenvolver outros dons que jamais o teríamos se fossemos fisicamente comum ou seja normal ........um abraço RAY e parabéns Maurício lindas palavras .....e perfeito raciocínio .....Melasx